Receba nossos materiais, e-books e novidades

MPEs e influenciadores digitais: Como construir uma boa parceria?

04 out 2018 - Blog

A publicidade e os veículos de comunicação tradicionais continuam relevantes para qualquer negócio. No entanto, observa-se que esses meios de divulgação perderam certo poder de influencia na decisão de compra. Além disso, as limitações financeiras presentes principalmente nas Micro e Pequenas Empresas (MPEs) as forçaram a buscar alternativas mais acessíveis para alcançar visibilidade. As redes sociais vieram a calhar.

Segundo pesquisa realizada pela Rock Content, 92% das empresas brasileira estão no Facebook. Entretanto, manter presença digital não é tão simples quanto abrir uma conta na rede, por exemplo. A queda na visibilidade das empresas nas redes sociais, por conta do algoritmo dessas plataformas, tem aumentado o interesse por formadores de opinião para divulgar os negócios na internet: os chamados influenciadores digitais.

Esses profissionais possuem altos índices de audiência e engajamento nas redes sociais. Geralmente são vistos como autoridades em determinados assuntos. Eles desfrutam de grande poder de influência. Isso ocorre porque os seus seguidores se sentem mais seguros ao consumir algo indicado por quem alguém de confiança (produto ou serviço).

Utilizar os influenciadores digitais como parte da estratégia de divulgação das MPEs pode gerar lucros consideráveis para o negócio. Existem diferentes possibilidades para essas empresas buscarem parcerias eficazes com esses profissionais. Vídeos no Youtube, fotos ou stories no Instragram, recomendações no Twitter, ou presença em eventos, por exemplo, são formas bastante eficientes.

As parcerias podem ser feitas, inclusive, por meio de permutas, que podem envolver produtos, serviços ou o próprio conteúdo a ser abordado. Neste caso, o trabalho realizado se assemelha ao das assessorias de imprensa, no sentido de que as MPEs propõe um conteúdo a ser tratado pelo influenciador. É possível encontrar, até mesmo, agências de comunicação especializadas em influenciadores digitais.

Nesse sentido, diferentemente de uma peça publicitária tradicional, a parceria com influenciadores digitais deve ser pautada por uma relação de confiança e profissionalismo. Ou seja, ambas as partes devem ser recompensadas. Assim, mesmo que o influenciador seja patrocinado, a proposta sugerida pela empresa deve estar relacionada ao segmento em que ele atua e também ao público que a empresa deseja alcançar.

Ao mesmo tempo em que os influenciadores digitais tornam-se cada vez mais relevantes, surgem pessoas que se aproveitam do investimento das empresas nesse segmento. Não é raro encontrar perfis no Instagram, por exemplo, com um número inflado de seguidores. Por esse motivo não consegue engajamento em suas publicações. É fundamental questionar: quem são os reais influenciadores digitais que conseguem alcançar o público da minha empresa? Evita-se, assim, desperdício de tempo, trabalho e dinheiro.

Dessa forma, recomenda-se que as MPEs tenham cautela ao buscar parcerias com esses profissionais. É necessário ter clareza sobre qual a mensagem que se deseja transmitir, a forma como deve ser repassada e, também, saber qual o público que se pretende atingir. Vincular a imagem do negócio a um “falso influenciador digital” ou a alguém que não esteja alinhado com a mensagem ou aos valores da empresa pode causar efeitos diferentes daquele pretendido. Em se tratando das MPEs, um investimento mal feito também pode trazer danos consideráveis para o negócio, tanto financeiros quanto para a imagem da empresa.

Jhonatas

Jhonatas Luis – Graduado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e especialista em Jornalismo Empresarial e Assessoria de Imprensa (jhonatas.luis@gmail.com).


Compartilhe
Divulgação
Sobre Divulgação

Buscar no Site

Mais Vistos

k

Interativa Comunicação ® 2015; Todos os direitos reservados.