Receba nossos materiais, e-books e novidades

Fake News: Ameaça à Democracia?

06 set 2018 - Blog
Uma das maiores preocupações para as eleições de 2018 no Brasil são as Fake News, segundo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luiz Fux | Foto: reprodução

Uma das maiores preocupações para as eleições de 2018 no Brasil são as Fake News, segundo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luiz Fux | Foto: reprodução

Uma nova apreensão surgiu nos últimos tempos: as chamadas Fake News. O termo vem do inglês e significa Notícias Falsas. O problema não é novo, mas o contexto tecnológico contribuiu para dar visibilidade a ele e potencializá-lo. Por isso, ao assumir o cargo de presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luiz Fux, declarou que uma de suas maiores preocupações para as eleições de 2018 no Brasil são as Fake News. Mas por quê? Seria ela uma ameaça a nossa democracia?

De acordo com o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, sim. Segundo ele as notícias falsas tendem a ser mais presentes e podem desfigurar o processo eleitoral. Para o advogado não é exagero afirmar que as fake news representam uma ameaça à própria democracia, na medida em que podem deturpar a expressão máxima da vontade popular – qual seja, o exercício do direito ao voto. (fonte retirada do site da oab)

Outra preocupação que o tema levanta é com relação a liberdade de expressão, um dos pilares fundamentais para a existência de um regime democrático. É aí que entra a valorização do jornalismo e do profissional jornalista. A melhor forma de combater a informação falsa é com mais e mais jornalismo.

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Além de investir nas fontes seguras outras medidas estão sendo tomadas para combater o avanço das fakes news e suas consequências, principalmente pelas redes sociais. O Facebook recentemente tirou do ar mais de 10 mil contas e páginas falsas no México e outros países latinos. A justificativa: as páginas violavam os padrões de comunidade da rede social e quebravam as “políticas sobre danos coordenados e comportamento não autêntico, bem como ataques baseados em raça, gênero ou orientação sexual”. A rede social também deixou claro que a limpeza na plataforma é crucial para garantir que as corridas eleitorais não sejam prejudicadas.

O Google Brasil também anunciou, no mês passado, o lançamento da “Comprova” – uma espécie de coalizão entre a empresa, organizações e veículos de comunicação nacionais para verificar as notícias compartilhadas pelos internautas.

Muitos podem pensar que é um exagero toda essa preocupação contra as fake news. Mas não se esqueçam: as notícias falsas impactaram diretamente as eleições nos Estados Unidos. Outros exemplos: também distorceram os plebiscitos sobre a saída do Reino Unido da União Europeia e o acordo de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

Então, antes de compartilhar ou acreditar em uma notícia, vale a pena questionar: será que é mais uma fake news? Em outro artigo aqui do blog dei várias dicas para evitar o compartilhamento de notícias falsas. Você pode ter acesso clicando no AQUI.


Compartilhe
Thais Rocha
Sobre Thais Rocha

Analista de Comunicação na Interativa. É Jornalista desde 2013. Não pode ver um animal abandonado que já quer levar para casa, por isso, nas horas livres ajuda vários abrigos de proteção. Gosta de Chico Buarque, filmes, séries, livros, coisas antigas e café.

Buscar no Site

Mais Vistos

k

Interativa Comunicação ® 2015; Todos os direitos reservados.