Receba nossos materiais, e-books e novidades

Empreendedorismo feminino: a hora é agora!

19 abr 2018 - Blog

O crescimento da participação feminina tem transformado o ambiente de negócios. As mulheres têm aumentado sua representatividade e inovado nas formas de trabalho. Com elas, surgem também novos desafios e oportunidades para serem exploradas nos negócios. Na mesma medida em que as empreendedoras contribuem para o desenvolvimento do país, elas também investem na educação de suas famílias e, assim, possibilitam o crescimento de mais pessoas. O empreendedorismo feminino tem toda essa força. E é também expressivo em termos numéricos.

Realizada pelo Sebrae e o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), em 2016, a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) apontou que, entre os brasileiros, as mulheres são as que mais estão interessadas em começar um negócio. Os estudos mostram ainda que a taxa de empreendedorismo feminino entre os novos empreendedores, aqueles que possuem um negócio com até 3,5 anos, é de 15,4%, já a masculina é de 12,6%.

Além disso, as mulheres são mais escolarizadas do que os homens empreendedores e atuam, principalmente, no setor de serviços. No país, desde 2007, oscila entre 47% e 54% para homens e mulheres. Mas, em 2016, a taxa mudou de 48,5% para homens e 51,5% para mulheres, reforçando o poder do empreendedorismo feminino.

Aos poucos e com relevância, as mulheres tem transformado o mundo dos negócios | Foto: Reprodução.

Mas muitos paradigmas ainda precisam ser quebrados pelo público feminino, pois é um caminho repleto de desafios. Mesmo com todo o potencial econômico e empreendedor, as mulheres ainda precisam superar algumas barreiras. As empresas abertas por elas tendem a ter a vida mais curta.

As empresárias têm menos redes de contato e nem sempre participam de negócios maiores ou inovadores. Também ficam com receio de crescer o seu negócio e não conseguirem conciliar o trabalho e a família, já que a jornada é bem diferente dos homens. Além disso, vivemos em um país ainda muito machista, onde a mulher precisa provar a todo o momento sua capacidade intelectual.

Por isso, é muito importante no negócio a capacidade de gestão. Para a empresa crescer, é necessário que as empresárias deleguem tarefas operacionais e tenham atenção estratégica. Assumir o controle financeiro é ainda mais relevante nesse cenário, além de ter a perspicácia para aproveitar as oportunidades que surgirem.

Grupo Mulheres do Brasil | Imagem: Reprodução.

Grupo Mulheres do Brasil lançou projeto com o Sebrae | Imagem: Reprodução.

Nesse sentido, buscando empoderar mais mulheres, o Sebrae Goiás, em parceria com o Grupo Mulheres do Brasil, lançou recentemente, em Goiânia, o Programa Mulheres Empreendedoras. O objetivo é que as participantes tenham a oportunidade de acelerar seus negócios por meio da aplicação dos conteúdos que irão receber. As micros e pequenas empresárias participarão de oficinas de capacitação nas áreas de Empreendedorismo, Finanças, Marketing, Pessoas, Liderança e Inovação, além de mentorias e coaching. É um projeto completo que proporcionará ainda mais emprego e renda para o Estado de Goiás.

São projetos como este, de empreendedorismo feminino, que podem incentivar ainda mais mulheres a se dedicarem aos seus negócios, transformando não só realidade delas, mas também a de muitas ao seu redor, gerando empregos e potencializado a economia do país. Por isso, a hora é agora!


Compartilhe
Ana Paula Moraes
Sobre Ana Paula Moraes

Coordenadora da Interativa Comunicação e Eventos. É Relações Públicas, especialista em Marketing e Comunicação e Mídias Digitais. O seu hobby é viajar, conhecer pessoas e trocar experiências. Além disso, é uma goiana autêntica, adora frango caipira com pequi e botecar.

k

Interativa Comunicação ® 2015; Todos os direitos reservados.