Receba nossos materiais, e-books e novidades

Câncer de próstata é a causa de morte de 28,6% da população masculina

15 nov 2018 - Blog

O Novembro Azul é dedicado ao combate do câncer de próstata. Esse tipo de câncer é o segundo que mais mata os homens, ficando atrás somente do câncer de pulmão.  É a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Quem faz o exame tem de 80% a 90% de chance de vencer a doença. Por isso, os homens devem começar a monitorar a próstata a partir dos 50 anos. Pessoas com histórico familiar ou homens negros devem começar a partir dos 40/45 anos.

Em grande parte dos casos, no estágio inicial do câncer de próstata, não são apresentados sintomas, tanto é que grande parte dos homens descobrem que possuem o tumor após uma bateria de exames de rotina. Quando os sintomas são existentes, o paciente costuma ir ao banheiro urinar com mais frequência, encontrar sangue na urina, dor ao atingir ou manter uma ereção, dor óssea, dificuldade em começar a urinar ou continuar esse processo, ejaculação dolorosa, entre outros.

O diagnóstico é feito através do PSA (exame de sangue) e do exame de toque retal. O PSA não elimina o teste físico. Os dois exames se complementam. Ainda hoje é grande o preconceito dos homens em realizar os exames que são imprescindíveis para o diagnóstico do câncer de próstata. Mesmo com campanhas de prevenção, como o Novembro Azul, ainda assim há uma ideia para que os homens não busquem o atendimento e, consequentemente, há retardo na detecção precoce levando ao agravamento desta doença.

Por isso, é fundamental que todo homem entenda que a saúde deva ser colocada em primeiro lugar, acima de qualquer senso comum que possa levar ao preconceito. Aproveite que estamos no mês da conscientização da doença e faça o exame de rotina. Outro fator importante para aumentar a sobrevida é o estilo de vida adotado. É essencial implementar no dia a dia uma alimentação mais saudável e praticar atividades físicas.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Christina Souto é professora de Enfermagem da Faculdade Estácio de Goiás


Compartilhe
Divulgação
Sobre Divulgação

Buscar no Site

Mais Vistos

k

Interativa Comunicação ® 2015; Todos os direitos reservados.