Receba nossos materiais, e-books e novidades

35 curiosidades sobre a banda mais famosa de todos os tempos: Os Beatles

30 jan 2019 - Blog

No dia 30 de Janeiro de 1969 os Beatles fizeram sua última apresentação ao vivo. Eles não haviam subido aos palcos desde 1966, quando tocaram em São Francisco, na Califórnia época em que a dinâmica do grupo era muito diferente. Agora, a amizade entre os membros do “Fab-Four” já havia deteriorado por uma variedade de motivos, como diferenças criativas, fama e dinheiro.

No início de 1969 o grupo estava junto de uma equipe de cineastas para capturarem em filme o processo criativo da banda durante as gravações do álbum “Let it Be”, apenas lançado em 1970. A película terminou sendo também um registro das desavenças que levarem ao fim dos Beatles.

Existem controvérsias a respeito de quem teve a ideia de subir no terraço do prédio da Apple para uma última apresentação ao vivo; porém é certo que este foi um dos momentos mais icônicos deste capítulo da banda, mostrando uma faísca de camaradagem e bom humor no meio de um período marcado pelos conflitos entre a banda e a tristeza dos fãs.

Hoje, para comemorarmos o aniversário de 50 anos de um dos shows mais icônicos da história do Rock, vamos explorar 35 curiosidades de toda a história dos Beatles, desde o “Cavern Club” nas noites de Liverpool ao terraço da Apple Records.

The Beatles – Don’t Let Me Down

  1. Antes de se chamarem Beatles, a banda utilizou o nome Johnny & The Moondogs. Integrava o grupo o baixista Stuart Sutcliff. Em agosto de 1960 entrou na formação o baterista Pete Best. Nessa época, se apresentaram em Hamburgo, na Alemanha, tocaram nada menos que seis dias na semana, durante seis horas por dia num inferninho chamado Indra Club.
  2. A primeira gravação em estúdio dos Beatles aconteceu no primeiro semestre de 1961. O título do registro em vinil foi ‘os Beatles em Hamburgo’. No compacto simples, de um lado, John Lennon interpretou “Ain’t She Sweet”, de Eddie Cantor, e do outro lado, uma composição instrumental dele e George Harrison, intitulada “Cry for a Shadow”.
  3. Três bateristas chegaram a gravar “Love Me Do”, incluindo a performance de Pete Best, que foi considerada péssima. Face a isso, o produtor George Martin exigiu um baterista de estúdio, assim surgiu o convite para Ringo Starr. Ainda insatisfeito, Martin chamou Andy White. Mas prevaleceu a versão de Ringo, assim, os Beatles ganharam um baterista em definitivo.
  4. O compacto com a canção “She Loves You” vendeu, só na Grã-Bretanha, 750 mil cópias, em menos de um mês. Tornou-se, assim, o que mais rapidamente foi comercializado na história daquele país. Esse mega sucesso fez com que os Beatles encerrassem suas apresentações nos clubes noturnos. O último desses shows foi no Cavern Club, em meados de agosto de 1963. A beatlemania havia chegado definitivamente.
Beatles Cavern Club

Beatles Cavern Club

  1. Oito das faixas de “With The Beatles”, o segundo LP da banda, lançado em novembro de 1963, foram gravadas ainda em julho, antes do lançamento de “She Loves You”. As outras seis foram gravadas em apenas dois dias de setembro. O álbum permaneceu cinco meses no topo das paradas. Apesar de pronta, “I Want To Hold Your Hand” foi lançada em compacto uma semana depois.
  2. Foi George Harrison quem recomendou ao presidente da Decca Records, Dick Rowe, que contratasse, no verão de 1963, um quinteto de Rhythm and Blues dos subúrbios de Londres, nome do grupo: The Rolling Stones. Depois, Lennon-McCartney cederiam a canção “I Wanna Be Your Man”, primeiro sucesso de Mick Jagger e cia.
  3. Mesmo com milhares de fãs na Grã-Bretanha, os discos dos Beatles continuavam desconhecidos nos EUA até o final de 1963. Para furar o cerco, o empresário Brian Epstein foi a Nova York persuadir a Capitol Records e o apresentador de TV, Ed Sullivan, a abrirem as portas para a banda. E aconteceu uma grande coincidência. Epstein se encontrou por acaso com Sullivan no aeroporto de Heathrow, em Londres, no dia em que os Beatles voltavam de uma turnê de shows na Suécia. O aeroporto estava abarrotado de fãs histéricas. Impressionado, uma semana depois Sullivan se reúne com Epstein para agendar a participação da banda no programa televisivo. A data acertada foi 9 de fevereiro de 1964. Era o começo da invasão Beatlemaníaca na américa.

The Beatles – I Want To Hold Your Hand – Performed Live On The Ed Sullivan Show 2/9/64

  1. O compacto com “I Want To Hold Your Hand” foi o primeiro disco na Grã-Bretanha a vender um milhão de cópias antes do lançamento. Esta façanha só foi alcançada uma única vez no mercado americano, por Elvis em 1957, com o compacto “Hound Dog / Don’t Be Cruel”. Mas com um detalhe; o mercado inglês à época era um terço do americano, os Beatles tinham lançado tantos compactos milionários em 1963 quanto toda a indústria fonográfica americana naquele ano.
  2. Em março de 1964, antes do lançamento de “A Hard Days Night”, Lennon publicou um livro de prosa e poesia intitulado “John Lennon In His Own White”, composto por 30 textos curtos.
  3. Na turnê nacional dos Beatles pelos EUA, em fevereiro de 1964, Brian Epstein recusou pedido da assessoria de imprensa da Casa Branca para que a banda fosse fotografada com o presidente, em Washington, depositando uma coroa de flores sobre o túmulo de John F. Kennedy.
  4. Os Beatles ouviram Bob Dylan pela primeira vez em janeiro de 1964, quando Paul comprou o segundo álbum do cantor americano e o pôs no quarto de hotel do grupo, durante temporada de shows em paris. E o curioso: Dylan também ouviu os Beatles pela primeira vez nesse mesmo período, quando “I Want To Hold Your Hand” estourou nas rádios americanas.
  5. Vários títulos foram rejeitados para o filme “Help!”, incluindo uma tosca canção intitulada “Eight Arms To Hold You” (“oito braços para segurar você”). E assim como em “A Hard Days Night”, o diretor Richard Lester encomendou uma canção-título e Lennon entregou o que julgou uma de suas composições favoritas.
Beatles Help Movie

Beatles Help Movie

  1. Depois do lançamento do compacto com “Ticket To Hide” e do filme “Help!”, no primeiro semestre de 1965, Lennon lançou seu segundo livro de ficção e poesia intitulado “A Spaniard In The Works”.
  2. A revista norte-americana Variety divulgou em agosto de 1965 que os Beatles tinham vendido 150 milhões de discos. E estimava que até o final do ano alcançaria 200 milhões. Com isso superaria o total de discos vendidos por Elvis Presley em toda a sua carreira.
  3. Para gravar “Rubber Soul”, os Beatles solicitaram tempo ilimitado ao estúdio Abbey Road. Foi assim que consumiram todo o mês de outubro. O acerto anterior era que o disco fosse lançamento em meados de novembro, para não atrasar precisaram acelerar a gravação das últimas três canções. O que implicou numa maratona de estúdio que foi das 18horas até às 7horas do dia seguinte.
  4. Maureen Cleave carrega o mérito de ter sido a primeira jornalista que publicou, em 1963, uma matéria nacional sobre os Beatles. Foi ela também quem escreveu, em março de 1966, para o Evening Standard, o mais abrangente texto sobre os integrantes da banda, tratava-se de. Um perfil completo sobre como vivia cada Beatle. No perfil de Lennon foi onde saiu a polêmica frase: “somos mais populares que Cristo”.
  5. Em 1965, o poeta beat norte-americano Allen Ginsberg pediu a um amigo comum que chamasse os “Beatles” para seu aniversário. O pedido foi aceito, mas o encontro foi breve. Lennon e Harrison chegaram à festa com suas esposas e foram recebidos por um Ginsberg nu, coberto estrategicamente apenas com uma placa “proibido estacionar”. Os dois casais bateram logo em retirada.
  6. Mesmo antes da finalização de “Revolver”, a gravadora Capitol Records pressionou a banda para que lançasse um compacto que se chamaria “Yestarday and Today”. O objetivo era puramente comercial: aproveitar o mega sucesso de “Yesterday”. Os Beatles enviaram uma foto de capa vestidos com jalecos de açougueiro, com pedaços de carne crua e corpos desmembrados de bonecas. Algumas fontes afirmam que a banda escolheu esta foto como resposta à pressão da gravadora e pela forma arbitrária como ela cortava ou adicionava faixas nos lançamentos internacionais dos álbuns. Outros dizem que a imagem foi uma forma de protesto à guerra do Vietnã, um dos principais tópicos de revolta do público e de figuras públicas no ano de 1967. Seja qual for o motivo, a gravadora eventualmente mudou a capa compacto, tornando o “Yestarday and Today” (com sua capa original) o disco mais raro dos Beatles até hoje.
“Yestarday and Today”

“Yesterday and Today”

  1. Em setembro de 1966, após o retorno da turnê americana, aconteceu o primeiro “ensaio da separação”. A banda decidiu que os seus integrantes ficariam afastados por três meses. Nesse período, Lennon interpretou personagem no novo filme de Richard Lester, “How I Won The War”. McCartney e George Martin trabalharam na trilha sonora do filme “The Family Way”. Harrison embarcou para a índia. E Ringo, voltou para sua casa.
  2. Apesar de John ser o primeiro a estrelar em um filme, Ringo acabou se tornando o ator mais prolífico dos quatro Beatles, participando de filmes como “Candy” (1968), o Western “Blindman” (“O Justiceiro Cego”, 1971), e fazendo participações especiais em shows de TV como “Os Simpsons”, “Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira” e até dublando um personagem em um especial de “As Meninas Super Poderosas”. Ao total, Ringo soma mais de 40 participações em filmes e televisão (não considerando os diretamente relacionados aos Beatles)
  3. “Penny Lane” era o nome da rua em que os caminhos de Paul, John e George se cruzavam para irem à faculdade de artes de Liverpool (“Liverpool College of Art”) ou o Colegial “Liverpool Institute”. O lançamento da canção provocou um editorial elogioso, sem precedentes, no conceituado jornal London Times.
  4. O grupo ao redor dos Beatles na capa do “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” é composto por atrizes, filósofos, escritores, poetas, dramaturgos, comediantes, lutador de boxe e até o ex-Beatle Stuart Sutcliff. Curiosamente, figuram apenas dois músicos: Bob Dylan e Dion, do grupo Dion & The Belmonts. Gandhi estava na foto original, mas foi retirado a pedido da gravadora EMI, que temia reação da subsidiária indiana. Outro personagem retirado foi Adolf Hitler, sacado por motivos óbvios.
Sgt Pepper

Sgt Pepper

  1. “All You Need Is Love” foi uma das canções mais rapidamente disseminadas até julho de 1967. Isso foi possível graças à sua exibição em um especial internacional de televisão chamado “Our World”. O programa foi concebido em comemoração à conclusão da primeira rede de satélites capaz de enviar um sinal de televisão ao redor do mundo.
  2. “Hello Goodbye” e “I Am the Walrus” fecharam com maestria a trilogia de compactos lançado em 1967. “Hello Goodbye” se tornou um dos sucessos mais duradouros dos Beatles na Grã-Bretanha, permanecendo em primeiro lugar por seis semanas.
  3. O primeiro verso de “I Am The Walrus” foi escrito após uma viagem de ácido em um fim de semana. E o segundo verso, no fim de semana seguinte, conforme revelou John Lennon. Mas a canção pode ser classificada como a mais literária dos Beatles, com referências a Shakespeare e Edgar Allan Poe, além de alusões à obra de Lewis Carroll.
  4. Nos primeiros meses de 1968 os Beatles se concentraram em gravar um compacto. “Across the universe”, de Lennon, deveria dividir o disco com “Lady Madonna”, composta por Paul. Aconteceu que John rejeitou inúmeras tentativas de arranjos para a sua música, por isso, a canção foi adiada. “Lady Madonna” liderou o compacto ao lado de “The Inner Light”, de Harrison.
  5. “Hey Jude” foi o compacto mais popular já lançado pelos Beatles, permaneceu nove semanas na primeira posição nos EUA, duas a mais que “I Want To Hold Your Hand”. Isso apesar dos sete minutos de duração.

The Beatles – Hey Jude

  1. O “Álbum Branco” foi lançado em novembro de 1968. Ele foi distribuído da seguinte forma: 12 faixas para Paul, 12 para Lennon, 4 para George e 2 para Ringo. Uma curiosidade: 5 das faixas de paul ele é o único instrumentista, inclusive como baterista. Paul também tocou bateria em “Dear Prudence”, de John. Motivo: Ringo havia abandonado as gravações.
  2. O ‘álbum branco’ permaneceu oito semanas no primeiro lugar na Grã-Bretanha. Nos EUA as vendas foram tão expressivas que o disco foi considerado o lançamento mais lucrativo na história das gravações de música pop até hoje.
  3. Em janeiro de 1969 foi lançado o álbum com a trilha sonora de “Yellow Submarine”. O atraso de dois meses após o filme foi proposital, para não competir com o “Álbum Branco”, que ainda estava no topo das paradas. Yellow Submarine, com mais quatro faixas inéditas, encerrava o contrato dos Beatles com as gravadoras EMI e a Capitol Records. O contrato previa a entrega de 60 canções originais e havia sido firmado em janeiro de 1967.
Beatles Yellow Submarine

Beatles Yellow Submarine

  1. A ideia de capa e o nome do álbum “Abbey Road” partiu de Paul. A famosa foto dos quatro músicos atravessando a rua foi clicada por Iain Macmillan. Assim como “Sgt. Peppers”, McCartney sabia o que estava fazendo. O título sugerido era muito superior ao que havia sido cogitado inicialmente: “Everest”.
  2. O maior clássico de George e uma das canções de amor mais celebradas da história da música pop, “Something” tem seu primeiro verso copiado do título de uma composição de James Taylor: “something in the way she moves”. Os acordes e a melodia da música foram compostas ainda durante as sessões do ‘álbum branco’. A música foi gravada por Ray Charles, Frank Sinatra, Elvis Presley entre tantos outros astros.
  3. A capa de “Abbey Road” com Paul como único Beatle descalço reforçou rumores de que ele estava morto. A notícia correu o mundo e só foi negada quando o Beatle concedeu entrevista para a revista Life. A reportagem trazia uma declaração bombástica de Paul. O músico declarou: “fazemos boa música e queremos continuar fazendo. Mas essa coisa dos Beatles acabou. Implodiu, em parte, pelo que nós fizemos, em parte pelo que outros fizeram”.
  4. Em março de 1970, a Apple lançou a balada “Let It Be”. Foi o primeiro compacto dos Beatles naquele ano e a última grande canção dos Beatles. Mas ela foi prejudicada pelo lançamento concomitante de “Bridge Over Troubled Water”, de Simon & Garfunkel. Assim, “Let It Be” alcançou apenas o segundo lugar na Grã-Bretanha e, duas semanas depois, o primeiro lugar nos EUA.
  5. Em dez de abril de 1970, uma semana antes do lançamento de ‘McCartney’, Paul enviou pessoalmente cópias promocionais do disco à imprensa. O press kit continha uma entrevista em que paul responde que só o tempo dirá se aquele álbum era um descanso do trabalho com os Beatles ou o começo de uma carreira solo. Ele nega categoricamente que vai voltar a compor com John Lennon. Uma semana depois, a Apple emitiu comunicado informando a saída de paul dos Beatles devido a “diferenças pessoais, musicais e profissionais”.

The Beatles – Something

As informações desse artigo foram baseadas no livro “Can’t Buy Me Love – Os Beatles, a Grã-Bretanha e os Estados Unidos”, de Jonathan Gould, da Editora Larousse, de 2010; e do blog Papo Cultura

Outras fontes:

https://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,ultimo-show-dos-beatles-num-telhado-em-londres-foi-ha-50-anos,70002690802

https://www.imdb.com/name/nm0823592/?ref_=tt_cl_t2

https://en.wikipedia.org/wiki/Yesterday_and_Today


Compartilhe
Francisco Barros
Sobre Francisco Barros

Diretor de Novos Negócios da Interativa Comunicação e Eventos. O seu hobby é a leitura, especialmente, os textos de literatura; é jornalista, escritor, mestrando em Mídia e Cultura e Editor do Blog da Interativa.

k

Interativa Comunicação ® 2015; Todos os direitos reservados.